segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Crescer


Crescer é desejo pequeno.
É força que nasce sozinha
- oxalá pudéssemos podá-la! -
e se cria, se instala, acontece.
E quando chega,
- se é que chega -
"Ah, que vontade de voltar..."


Compartilhar


Compartilhar é fazer a experiência do encontro.
É permitir que o outro seja parte
da vida que até então era só minha.
É atribuir um sentido maior
ao momento que era só temporalidade.
É deliciar-se de companhia
sempre que a vida é grande
 ou pequena demais
pra ser só minha.


Criança


Criança é sopro de vida. 
É início de eternidade, é pureza completa!
Criança é humanidade indefinida,
é oportunidade de recomeço.
É voz divina gritando:
"Tenho visto o quanto és bom!"


Sutil


É sutil aquilo que não precisa de explicação.
Aquilo que, em detalhes e entrelinhas,
existe, apenas.
E é mistério, 
é coisa que fica no ar.

É sutil, portanto, aquilo para o que não existe 
ligação no pensar
apenas no sentir!


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Livre


É livre aquele que, 
apesar das inúmeras grades contemporâneas,
consegue viver sentindo.
Sentindo muito,
Sentindo tudo,
Sentindo pelo outro
e sendo sentido
(mesmo que não faça muito sentido)!


Colorir


Colorir é trazer magia ao que, visivelmente,
parece ter uma natureza monocor...
É dar vida, atribuir sentido, comunicar!

Colorir é, enfim, mostrar que 
há diversas formas de gritar!


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Escolher


Escolher é dar voz à vontade,
é eleger uma especialidade,
 dentre tantas "simples" opções.

Escolher é permitir que o novo se achegue, 
adentre e torne-se, então, 
ESPECIAL!


Juventude


A juventude é o tempo da confusão.
É o intervalo entre duas eternidades
- ou seriam apenas realidades? -
É o momento em que nada nos pertence:
nem mesmo a nossa própria consciência.
E é  por isso que, nessa fase,
de nada nos importamos em usufruir!

Surpresa



A surpresa é a magia da espontaneidade.
É o momento em que não existem defesas
ou estruturas pré-organizadas.
É a oportunidade que a emoção encontra
de falar sem usar das palavras...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Pessimismo


O pessimismo é a desculpa da tristeza.
Veneno lento, que acontece aos poucos,
vai matando o que, em nós,
é capaz de enxergar belezas!


Pensar


Pensar é explodir as grades de nossos limites.
É voar, descobrir, se lançar
na aventura e na loucura
de buscar verdades inalcançáveis!


Pulsar


Pulsar é tarefa involuntária
- tão diferente de viver! -
- embora tão entrelaçada! -

O pulsar é o grito silencioso, embora sensível,
de uma realidade, tão pouco palpável,
que clama por existência
e, se não for pedir muito,
também um pouco de vida!


Inocência


A inocência é a cor da vida!

É a incrível força que temos deixado
esvair-se, ano a ano, pelo simples descuido
de crescermos!

Brincar


Brincar é dar vazão à pureza que em nós habita.
É, sem pudores, entregar-se à maravilhosa aventura
de ser apenas quem somos,
mesmo que disfarçados de fantasia!

Sentimento


Sentimento é coisa simples, afinal
(embora não seja "coisa")...

O sentimento é a fraqueza da força,
A beleza da diferença,
A alma da razão.

O sentimento é o recheio!
O preenchimento de todas as coisas 
para as quais simplesmente
não existe sentido;
existe sentir!


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Sombra


A sombra é o contorno obscuro de nós.
É a parte que nossa materialidade condiciona à falta de luz.
É a prova da dualidade que nos abriga,
ao passo que é também a determinação tênue
de nossa "limitude."
A sombra é, enfim, o grito silencioso de um ser oculto,
condenado à projeção de si mesmo...


Ofertar


Ofertar é dar de si.
Seja como seja, é sempre um pouco de nós
que se vai a cada oferta, para que mais de nós
possa brotar e florescer 
em jardins alheios!

Bagagem


A bagagem é a ilusão da incompletude.
É o conjunto daquilo que levamos
(em malas, mente ou coração),
por acreditarmos que não nos bastamos...

Oportunidade


A oportunidade é a brecha espontânea da vida.
Chega sem alarde, sem imposições.
Apresenta-se como um embrulho:
fechado, embalado, bonito. 
Laço de fita e papel colorido.

Mas a oportunidade no embrulho está pela metade.
A outra parte está dentro de nós!