domingo, 29 de dezembro de 2013

Calendário


O calendário é só um amontoado de números,
criado para dar-nos a ilusão de que dominamos o tempo.
Mero consolo à nossa humanidade que não sabe lidar
com os próprios limites...

Que belo seria se nos deixássemos viver
pelo tempo que nos coubesse,
sem números, sem limites ou divisões!
Apenas no prazer de deixar passarem 
os dias, os meses, os anos
sem sequer nomeá-los assim...

Celebrar


Celebrar é trazer à consciência e ao conhecimento do mundo,
aquilo que, no coração, gera algo tão bom, que transborda!

É externar a gratidão, de forma que se eternize
na história o que foi bom, tendo durado o que durou!

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Saudade


A saudade é a força que deseja atualizar aquilo que,
embora no tempo tenha passado,
no coração permanece recente, vivo e forte.
Forte o suficiente para, algumas vezes,
fazer doer (de amor)!


Insônia


Insônia é convite ao exercício da realidade.
É tempo de despertar os sonhos,
para que vivam, para que se desenhem,
ao menos por uma noite,
diante de nós!

Pousar


Pousar é deixar que descansem as asas
e alce voo o pensamento!
É, por ora, contemplar o firmamento
e redescobrir a grandeza que habita
em quem pode alcançá-lo!


quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Recordações



Recordações são pedaços vivos do passado
(um passado que não passou de vez).
São o complexo ativo da nostalgia.
São caminhos pelos quais o coração,
frágil e faceiro que é,
consegue transferir-se no tempo,
para ser capaz de re-sentir!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Doses


Doses são limites benéficos.
Dão beleza e nos alertam, 
nos ensinam a valorizar as pequenezas
que vêm de tempos em tempos.

Afinal, o que seria de nós 
sem uma dose diária de vida
e uma outra de Amor?

Convite


Convite é proposta que alcança o coração.
É sinal de importância, demonstração de  proximidade.
Convite é forma, por vezes muito simples,
de remexer naquilo que do outro já é parte:
a rotina!



Matéria


A matéria é só um detalhe.
Ela, na verdade, nada diz.
Matéria é desculpa que a racionalidade precisa
para (em vão) tentar conceber a ideia de existência!


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Viajar


Viajar é ter o pé na estrada,
 a cabeça nas nuvens
e alar com força a imaginação.

É mudar, por um tempo,
de lugares, de ares, de pensamento.
Pra que assim, então, na bagagem, 
venha um novo
sentimento
(e um novo eu)!

Terra


A Terra é só uma esfera
que gira, gira
e não nos espera.

Cumpre sua sina,
segue cumprindo.
Nossa vida, pequenina,
aprendeu a ir seguindo.

Por ritmo, o tempo.
Por maestro, o tempo.

Que espaço resta, então,
ao nosso sentimento?

Nostalgia


A nostalgia é o estado 
(quase) permanente do sentimental.
É uma lente, pela qual as coisas todas
passam a ter um sentido maior,
carregado de sentimentos exacerbados
e prefixos. 

É passado, mas insiste em não passar...

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Transbordar


Transbordar é dar vasão a si mesmo.
É atingir o ponto em que o sentimento
já não cabe, já não pode caber.
Transbordar é deixar fluir,
é abrir as comportas da alma
para que águas muitas venham
e nos tragam
e nos levem.
(e que seja pra longe!)

Flores


As flores são pequenos grandes cuidados da Criação!
São lembretes multicores 
avisando o tempo todo que nada,
nem força nenhuma que se levante,
é capaz de destruir a beleza.
Porque ela vive é dentro de nós!

Façamos do tempo, uma perene primavera!
- leia-se numa pétala por aí...-


Extremos


Os extremos são a fonte primeira da vida!
Neles habita a mesma essência,
o mesmo ser,
embora levemente modificado, em aparência,
pela breve medida errante
a que chamamos tempo.

Os extremos, enfim, são os guardiões da verdade:
o tempo é um detalhe diante do incrível espetáculo
de apenas e plenamente
VIVER!


Amizade


Amizade é indefinição.
É partilha de si, é acolhida do outro.
É sorriso e lágrima sem donos.
É tudo com cara de nada,
e nada com jeito de tudo!

É troca de olhares que revela,
é afeto que acolhe.
É abraço sem palavras,
é palavra que diz nada.

Amizade é mais que sentimento,
é pura vivência!
É experiência de desinteresse
e força inexplicável.

A amizade, em si, é indefinição.
Racionalmente incompreensível,
mas habitante eterna do coração!



Obstáculo


Obstáculo é ponto de vista.
É forma (por vezes equivocada) 
de se olhar um desafio.

Obstáculo é, na verdade,
oportunidade!

Oportunidade de crescer, 
de vencer,
mas, sobretudo, de (se) reinventar!


Promessa


Promessa é selo invisível, mas inquebrável.
É acordo entre almas, prova de confiança.

É sinal vivo de que alguém 
deposita num outro alguém
uma parte vital de si mesmo
(e acredita que vale a pena)!



segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Crescer


Crescer é desejo pequeno.
É força que nasce sozinha
- oxalá pudéssemos podá-la! -
e se cria, se instala, acontece.
E quando chega,
- se é que chega -
"Ah, que vontade de voltar..."


Compartilhar


Compartilhar é fazer a experiência do encontro.
É permitir que o outro seja parte
da vida que até então era só minha.
É atribuir um sentido maior
ao momento que era só temporalidade.
É deliciar-se de companhia
sempre que a vida é grande
 ou pequena demais
pra ser só minha.


Criança


Criança é sopro de vida. 
É início de eternidade, é pureza completa!
Criança é humanidade indefinida,
é oportunidade de recomeço.
É voz divina gritando:
"Tenho visto o quanto és bom!"


Sutil


É sutil aquilo que não precisa de explicação.
Aquilo que, em detalhes e entrelinhas,
existe, apenas.
E é mistério, 
é coisa que fica no ar.

É sutil, portanto, aquilo para o que não existe 
ligação no pensar
apenas no sentir!


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Livre


É livre aquele que, 
apesar das inúmeras grades contemporâneas,
consegue viver sentindo.
Sentindo muito,
Sentindo tudo,
Sentindo pelo outro
e sendo sentido
(mesmo que não faça muito sentido)!


Colorir


Colorir é trazer magia ao que, visivelmente,
parece ter uma natureza monocor...
É dar vida, atribuir sentido, comunicar!

Colorir é, enfim, mostrar que 
há diversas formas de gritar!


quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Escolher


Escolher é dar voz à vontade,
é eleger uma especialidade,
 dentre tantas "simples" opções.

Escolher é permitir que o novo se achegue, 
adentre e torne-se, então, 
ESPECIAL!


Juventude


A juventude é o tempo da confusão.
É o intervalo entre duas eternidades
- ou seriam apenas realidades? -
É o momento em que nada nos pertence:
nem mesmo a nossa própria consciência.
E é  por isso que, nessa fase,
de nada nos importamos em usufruir!

Surpresa



A surpresa é a magia da espontaneidade.
É o momento em que não existem defesas
ou estruturas pré-organizadas.
É a oportunidade que a emoção encontra
de falar sem usar das palavras...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Pessimismo


O pessimismo é a desculpa da tristeza.
Veneno lento, que acontece aos poucos,
vai matando o que, em nós,
é capaz de enxergar belezas!


Pensar


Pensar é explodir as grades de nossos limites.
É voar, descobrir, se lançar
na aventura e na loucura
de buscar verdades inalcançáveis!


Pulsar


Pulsar é tarefa involuntária
- tão diferente de viver! -
- embora tão entrelaçada! -

O pulsar é o grito silencioso, embora sensível,
de uma realidade, tão pouco palpável,
que clama por existência
e, se não for pedir muito,
também um pouco de vida!


Inocência


A inocência é a cor da vida!

É a incrível força que temos deixado
esvair-se, ano a ano, pelo simples descuido
de crescermos!

Brincar


Brincar é dar vazão à pureza que em nós habita.
É, sem pudores, entregar-se à maravilhosa aventura
de ser apenas quem somos,
mesmo que disfarçados de fantasia!

Sentimento


Sentimento é coisa simples, afinal
(embora não seja "coisa")...

O sentimento é a fraqueza da força,
A beleza da diferença,
A alma da razão.

O sentimento é o recheio!
O preenchimento de todas as coisas 
para as quais simplesmente
não existe sentido;
existe sentir!


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Sombra


A sombra é o contorno obscuro de nós.
É a parte que nossa materialidade condiciona à falta de luz.
É a prova da dualidade que nos abriga,
ao passo que é também a determinação tênue
de nossa "limitude."
A sombra é, enfim, o grito silencioso de um ser oculto,
condenado à projeção de si mesmo...


Ofertar


Ofertar é dar de si.
Seja como seja, é sempre um pouco de nós
que se vai a cada oferta, para que mais de nós
possa brotar e florescer 
em jardins alheios!

Bagagem


A bagagem é a ilusão da incompletude.
É o conjunto daquilo que levamos
(em malas, mente ou coração),
por acreditarmos que não nos bastamos...

Oportunidade


A oportunidade é a brecha espontânea da vida.
Chega sem alarde, sem imposições.
Apresenta-se como um embrulho:
fechado, embalado, bonito. 
Laço de fita e papel colorido.

Mas a oportunidade no embrulho está pela metade.
A outra parte está dentro de nós!



terça-feira, 17 de setembro de 2013

Definir


Definir é, enfim, buscar o resultado da mais pura investigação:
aquela que que encontra, na natureza de um termo, 
aquilo que de mais essencial existe nele.
E isso nada mais poderia ser, senão sua significação,
seu motivo de existir no mundo, sua definição!

Porque a definição, antes de estar nos manuais, está em nós!

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Universo


O Universo é o infinito em expansão. Incompreensível e, portanto, admirável!
Assim, num verso só!

Cicatriz


Cicatriz é marca 
frequentemente vítima de injustiça.
Afinal, cicatriz nem sempre é ruim.

Cicatriz é sinal 
de que algo por ali passou
e deixou uma parte de infinito!
Por vezes boa,
Por vezes ruim,
mas sempre eterna!

E o que buscamos nós, 
senão uma brecha de eternidade?

Artista


O artista é o reinventor de si mesmo.
É o ser mais aparentemente mutável, 
porém mais interiormente construtivo.
É uma junção de sensibilidade extrema,
de necessidade e dependência do ar que vem da ARte!

O artista é, assim, toda a essência da humanidade!

Seguir


Seguir é rumar para o infinito, sem grandes preparativos!
É ter (in)certezas no peito e sentimentos na mente,
certa de que assim mesmo é que deve ser!

E, então, apenas continuar!
Porque paradas só valem pra apreciar a paisagem
e ter ainda mais vontade de seguir!

Desatar


Desatar é libertar. 
É proporcionar às asas que, naturalmente, existem 
nas pessoas e nos sonhos,
a condição de que precisam para realizar 
tudo o que de sublime pode ser feito:
VOAR!

Desatar é deixar ser, seja como for!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Distância


E a distância é um mero detalhe, meu bem!
Um dia, apenas, e foi-se uma volta ao mundo!
Quilômetros, metros... São apenas espaços.
E nos espaços não cabe muita coisa.
Cabe bem mais no coração da gente,
que, como a gente bem sabe,
é uma partezinha de infinito!


Decisão


A decisão é a temporalidade da vontade.
É a expressão do que a alma grita, agora.
É a medida dos pesos, 
mesmo que nem sempre pareça medida.
É o que impulsiona o gesto,
É o que move o ser.

É a verdade, por vezes, oculta na sombra
de uma indecisão.


Expressão


A expressão é a força motriz da personalidade.
É a capacidade, tão humana, 
de mostrar-se tão único e, 
ao mesmo tempo, tão comum.

Um Universo, num só!
Infinitas possibilidades,
Milhares de milhões
de infinitos particulares!


sexta-feira, 19 de julho de 2013

Multidão


A multidão é o lugar do vazio.
No meio da multidão, não há, 
essencialmente, ninguém.
Mas em cada um dos seres, 
palpita uma multidão.

E é desse paradoxo que temos vivido
(inconscientemente) - ou não?

Permitir-se


Permitir-se é lançar-se às aventuras da vida, 
com ânimo, fôlego, desejo e, ao mesmo tempo,
de mãos vazias e peito aberto!
É experimentar o novo que desponta no horizonte,
na pureza do agora, na verdade sublime do ser,
apenas por ser.

Permitir-se é viver!

Experimentar


Experimentar é dar a si mesmo 
a chance de se reconstruir!

É colocar-se à mostra para a vida, 
deixando que ela faça seu espetáculo
completamente à vontade.
Sem puder e sem limites,
bem à sua essência:
SURPREENDENTE!

Escrever


Escrever é (re)criar!
É construir uma verdade, assumi-la, dar forma e sentimento.
É trazer à tona o que está, ainda, em estado de invisibilidade,
mas não (e nunca) de insensibilidade!

Escrever é render-se ao fascínio 
- tão humano e tão sobrenatural - 
de compor e recompor 
o mundo!